Wingsuit

Wingsuit

O ESPORTE

Wingsuit, é praticado através do traje planador, um macacão com asas que se inflam com o vento entre os braços, o tronco e entre as pernas para voos de alta performance. Os praticantes desta modalidade de paraquedismo são também chamados "Bird-man" (homem pássaro).

Enquanto no paraquedismo de queda livre a uma velocidade cerca de 200 km/h, com wingsuit possui velocidade horizontal próximo a 150 km/h e para pousar os praticantes fazem uso de um paraquedas.

Como o corpo do paraquedista funciona como estrutura de sustentação para as “asas” do wingsuit, esse tipo de vestimenta especial é produzido com materiais de extrema durabilidade, mas sem a presença de tecidos muito rígidos. Qualquer característica comum entre o wingsuit e a fisiologia dos esquilos-voadores não é mera semelhança: a roupa foi inspirada nesses roedores que são capazes de pular longas distâncias usando os mesmos princípios desse esporte.

Para controlar o voo, o paraquedista conta com três posições básicas. Na primeira delas, o atleta deve manter o seu corpo rígido e com uma pequena curvatura para trás. Assim, ele tem uma queda mais lenta e estável. Em contrapartida, a sua velocidade não é tão alta, pois essa posição é considerada a ideal para os saltos de wingsuit.

Inclinando levemente o corpo para baixo e dobrando um pouco os joelhos, o saltador consegue usar as diferentes pressões do ar para impulsioná-lo para frente com uma velocidade maior. A angulação “perfeita” para essa posição pode variar de acordo com o tamanho e o peso do paraquedista.

Por fim, os mais aventureiros e radicais do esporte podem atingir as máximas velocidades possíveis mantendo o seu corpo reto e rígido e inclinando-o acentuadamente para baixo. Para mudar de direção, o atleta deve girar seus braços, ombros, pernas e quadril mudando o formato das asas e redirecionando a pressão do ar.

Cada movimento deve ser feito de maneira uniforme e suave, pois ações bruscas podem fazer com que o esportista perca estabilidade, podendo levá-lo a rodar sem controle. Por isso, a prática do wingsuit é indicada apenas para paraquedistas experientes, que possuam pelo menos 500 saltos em seu histórico.

HISTÓRIA

No início da queda livre de paraquedismo, ninguém sabia como controlar o corpo em queda livre. A ideia original de asas, era controlar e estabilizar o skydiver durante seu mergulho em direção à Terra. Os pioneiros da wingflying construíram suas asas de madeira, metal e lona, sendo os primeiros Birdmen (homens pássaro). Para dar o show para seu público, eles geralmente abriam o paraquedas em altitude muito baixa. O mais famoso da primeira geração de homens-pássaros foram Clem Sohn, Rudolph Bolen e Harry Ward.

Clem Sohn foi o mais famoso dos muitos jumpers americanos, e construiu suas asas de morcego de lona e hastes de metal usada para apoiá-los e uma asa de lona entre as pernas. Clem Sohn morreu em um show de salto em Villacoubly na França em 25 de abril de 1937. Muitos outros espetáculos de jumpers americanos usando wingsuits para impulsionar seus shows, entre eles Manos Morgan e Tommy Boyd. Harry Ward, "The Yorkshire Birdman", foi o principal paraquedista britânico dos anos 30.

Quando ele tentou pela primeira vez usar seu wingsuit, ele já era um showjumper experiente. Harry Ward fez o seu primeiro wingjump em 1936 e depois de praticar, foi capaz de cair de forma estável e para executar algumas voltas em movimento horizontal de queda livre com suas asas semi rígidas feitas de madeira e linho.Como exceção, Harry Ward foi um dos poucos homens a sobreviver por longo tempo como homem-pássaro, e morreu em Julho de 2000, um respeitáveis 97 anos de idade.

Fonte:

Tecmundo (tecmundi.com.br)

Wikipedia (wikipedia.org)

Wingsuit DK (wingsuit.dk/history.html)

Fotos Recentes

Vídeos Recentes


Receba novidades