Nado borboleta

Nado borboleta

REGRAS

Estilo de natação que exige mais fisicamente. O nadador deve mover os braços sobre a cabeça e as pernas são mantidas unidas em movimentos constantes e simultâneos. Ombros alinhados à superfície da água, o nadador faz movimentos simultâneos com os braços e as pernas alinhadas também vão simultaneamente para cima e para baixo sendo preciso bater as duas mãos ao mesmo tempo na parede a cada virada e ao final da prova.

O nadador só pode permanecer submerso por até 15 metros, então sua cabeça deve quebrar a superfície. O nadador aproveita o momento em que seus braços se estendem, os ombros e a cabeça são levantados da água, e o atleta pode elevar o queixo e respirar.

Cada prova conta com um grupo de árbitros para observar o correto cumprimento das Regras da Natação estilo borboleta provas de 100 e 200 metros, que se posicionam na lateral da piscina para observar a prática correta de cada estilo de nado.

RECORDE

O Recorde masculino no nado borboleta de 100 metros é o Estadunidense Michael Phelps com a marca de 49.82 segundos em agosto de 2009. O recorde feminino na mesma modalidade pertence a Dana Vollmer, também nascida nos Estados Unidos com a marca de 55.98 segundos em julho de 2012.

Michael Phelps também é recordista nos 200 metros, com 1:52.09, número conquistado em março de 2007. O recorde feminino é da chinesa Liu Zige, que marcou 2:01.81 em outubro de 2009.

HISTÓRIA

Praticada na Grécia Antiga e pelos romanos, entre outros povos, a natação, embora popular, demorou muito para se transformar em uma competição organizada, tendo seus estilos se desenvolvido de diferentes formas ao longo da história.

Um dos primeiros registros data de 1696, quando o francês M. Thevenal descreveu uma maneira singular de nadar, semelhante ao nado de peito praticado atualmente, que consistia em movimentos de pernas e braços parecidos com os de uma rã. O nado de costas teve sua primeira forma criada em 1794, pelo italiano Bernardi num movimento com os dois braços sendo jogados para trás simultaneamente.

Em 1873, o inglês John Trudgen desenvolveu uma nova técnica, que consistia em rotações laterais do corpo, tendo a movimentação dos dois braços sobre a água como principal fonte de deslocamento. Essa técnica foi aperfeiçoada pelo australiano Richard Cavill e, posteriormente, transformou-se no nado crawl (livre) que conhecemos hoje.

Finalmente, na década de 1930, nadadores norte-americanos, já durante competições, atentaram para o fato de que as regras do nado de peito não impediam que o movimento dos braços fosse realizado sobre a superfície da água, o que permitia um deslocamento mais rápido. Essa manobra conviveu com a técnica do nado peito por quase 20 anos até que, em 1948, um nadador húngaro a transformou no nado borboleta, reconhecido oficialmente pela Federação Internacional em 1953 como um estilo da natação.

Aos poucos, a modalidade ganhou força e, em 1908, durante as Olimpíadas de Londres, foi fundada a Federação Internacional de Natação (Fina), que comanda não só as provas da modalidade, mas as de nado sincronizado, polo aquático e saltos ornamentais.

No Brasil, o esporte surgiu, oficialmente, em 31 de julho de 1897, com a fundação da União de Regatas Fluminense. Um ano depois, o Clube de Natação e Regatas organizou o primeiro Campeonato Brasileiro, que consistia em uma distância de 1.500 metros, entre a Fortaleza de Villegaignon e a praia de Santa Luzia, no Rio de Janeiro.

Fonte:

Rio 2016 (rio2016.com)

Brasil 2016 (brasil2016.gov.br)

Comitê Olímpico Brasileiro (cob.org.br)

Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (cbda.org.br)

Federação Internacional de Natação (fina.org)

Fotos Recentes

Vídeos Recentes


Receba novidades