parkour

parkour

O ESPORTE

Não há regras para a prática do parkour, apenas normas de conduta. O uso de equipamentos são opcionais, mas o uso de tênis com sola antiaderente é essencial.  O parkour é uma prática livre em que não existe competição, o praticante apenas busca auto-superação, confiança e fortalecimento físico.

Parkour é um treino de transposição de obstáculos no ambiente, uma técnica que usa habilidades do ser humano para ir de um ponto a outro da forma mais eficiente como escalar muros, equilibrar em corrimãos, ou saltar sobre vãos. Sem limitações de espaços para ser praticado, o parkour é acessível a todos, possibilitando o autoconhecimento do corpo humano e mente como o desenvolvimento da força, resistência, coordenação motora, e até mesmo o equilíbrio ao mesmo tempo em que desenvolve a concentração, força de vontade, determinação e coragem, características que favorecem ao bem estar e a qualidade de vida, educando jovens ávidos por novas experiências.

O objetivo é tentar encontrar um meio de fazer os caminhos que as pessoas normalmente fariam andando, de maneiras diferentes. Para isso o praticante observa o caminho a ser percorrido e traça uma trajetória que seja simples, rápida e eficaz. A simplicidade não ocorre quando há a pretensão de incluir movimentos acrobáticos, mas a sua prática utilizando o meio como obstáculo resulta muitas vezes em uma estética particular associada a um prazer pessoal. Os homens que praticam parkour são chamados de traceur e as mulheres chamadas de traceuses.

Uma importante característica desse esporte é sua eficiência. Um praticante não só se move o mais rápido que puder, mas da maneira energeticamente mais econômica e o mais diretamente possível. Eficiência também envolve evitar ferimentos em curto e longo prazo.

TÉCNICAS

Salto do gato: quando o objetivo é pendurar e se fixar em algum lugar.

Drop, Kitty: quando, após um salto, o traceur deixa seu corpo cair levemente em direção a um lugar mais baixo.

Salto com distância: salto com a intenção de locomover o corpo de um local a outro, atravessando uma fenda. É geralmente seguido de um rolamento no solo.

Salto de precisão: salto que requer muito equilíbrio, pois ocorre quando o praticante passa de um local em que está imóvel a outro, para também permanecer estático. Geralmente são feitos de locais pequenos para locais pequenos, por isso o nome “precisão”.

Passagem de obstáculo reversa: salto em que as duas mãos são utilizadas como apoio no solo, enquanto o corpo faz uma volta de 360 graus.

Desmonte: soltar-se de um lugar para cair em outro.

Aterrissagem: amortecimento suave a fim de evitar lesões articulares.

Simples: manter o corpo sobre locais de pequeno apoio.

Equilíbrio do Gato: manter o corpo sobre local de pequeno apoio em quatro apoios, ou seja, imitando um gato.

Passagem por baixo da barra: quando o praticante faz a passagem por baixo de locais baixos.

Passagem de Muros: impulsão com os pés na parede, para se agarrar no topo e, depois, fazer o movimento de subida.

Subida: subir em algum local, sem o auxílio das pernas, apenas a partir das forças dos braços.

Tic Tac: mudar de direção com rapidez.

Rolamento: rolamento evasivo a fim de amortecer, ou criar embalo após um amortecimento.

HISTÓRIA

Essa prática teve seu início na França por volta de 1980, por David Belle. Ele cresceu vendo seu pai praticar exercícios relacionadas às técnicas de combate de guerra, pois seu pai foi ex-combatente da Guerra do Vietnã. Reymond Belle, pai de David, repassou os conceitos para seu filho, que junto com os amigos, adaptou as técnicas militares para a cidade.

David Belle adaptou e criou as técnicas para saltar obstáculos apenas com o movimento do corpo, superando seus limites e vencendo os obstáculos. Ele criou o “Le Parkour” que do francês significa “O Percurso”. 

Fonte:

Parkour Brazil Team (parkourbrazil.com)

Mundo Educação (mundoeducacao.bol.uol.com.br) 

Brasil Escola - Paula Rondinelli (brasilescola.uol.com.br)

Fotos Recentes

Vídeos Recentes


Receba novidades