Tênis de quadra

Tênis de quadra

REGRAS

No tênis, as partidas podem ser disputadas em duplas ou individualmente. Um sorteio antes do início do jogo define o jogador ou dupla que começará servindo e o que começará recebendo o saque. O jogo é dividido em sets (partida) e games, sendo que o set é ganho quando atingir 6 games, com dois games, no mínimo, de diferença para o adversário. Caso haja empate no set de 6-6, será disputado um tie-break, no qual o jogador que vencer 7 pontos primeiro, com uma diferença de dois pontos para o adversário, ganha o set. 

O game é a soma de pontos que começam a ser disputados quando o jogador saca a bola para o outro lado da rede, de modo que ela caia dentro da área de serviço adversário. São duas tentativas para se iniciar o ponto, caso contrário perde-se o ponto. Há outras formas de se perder pontos quando: a bola não ultrapassa a rede; a bola cai fora dos limites da quadra; a bola pinga/quica duas vezes dentro de um dos lados da quadra. O jogo é pontuado por 15, 30 e 40 pontos e quando há empate em 40-40, vence o tenista que fizer dois pontos seguidos. 

A quadra de tênis mede 23,77 metros de cumprimento e 10,97 de largura em partidas de dupla e 8,23 m em partidas individuais. É dividida ao centro por uma rede de 0,914 metros de altura, sendo que o poste que a segura tem 1,07 m de altura.

HISTÓRIA

O nome tênis vem da expressão francesa "tenez" que quer dizer jogar ou pegar. Há um certo conflito quanto à origem do esporte uma vez que historiadores relatam o surgimento do tênis na Inglaterra, no século XIX, enquanto que outros afirmam ter sido na França, século XII, em uma brincadeira entre monges franceses chamada jeu de peume (jogo da palma).

Ao longo do tempo, muitas inovações foram incorporadas. A bola deixou de ser arremessada contra o muro e o jogo passou a ser praticado num retângulo demarcado. O novo esporte caiu no gosto da nobreza francesa e em pouco tempo as quadras se multiplicaram, mesmo a contragosto dos governantes e da Igreja Católica. A atividade também ganhou grande popularidade na Inglaterra. Os reis Henrique VII e Henrique VIII eram grandes entusiastas do jogo. Com a destruição das quadras durante as guerras napoleônicas, o esporte desapareceu e só voltou a ser amplamente praticado no meio do século XIX, já com o atual nome. Após a modalidade ter se espalhado pela Europa, Wimbledon abrigou o primeiro torneio internacional.

O sucesso do tênis fez com que ele fosse incluído nos primeiros Jogos Olímpicos da Era moderna, em Atenas 1896. Devido às rígidas regras criadas pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), o esporte foi excluído do programa olímpico entre 1928 e 1988. Com 2 milhões de praticantes, 370 torneios por ano e 33.675 jogadores registrados na Confederação Brasileira de Tênis (CBT), esse esporte hoje está entre os 10 mais praticados e disseminados no Brasil. De acordo com a CBT, em uma pesquisa realizada recentemente pela Deloitte, o tênis foi apontado como a 4ª modalidade no quesito “esporte favorito”.

A cadeia do tênis movimenta anualmente R$1,8 bilhão no País, considerando gastos com a prática do tênis, a movimentação financeira dos torneios, apoios e patrocínios aos atletas, torneios e entidades, além de gastos da mídia.

Nos Jogos Olímpicos Pequim 2008, nove dos dez melhores jogadores do mundo (ranking ATP) disputaram o ouro. O único ausente foi o americano Andy Roddick. O campeão olímpico foi o espanhol Rafael Nadal. Os ingleses são os responsáveis por levar a modalidade para o Brasil, no fim do século XIX. Técnicos e engenheiros desembarcaram no Rio de Janeiro e em São Paulo com bolinhas e raquetes de tênis.

Fonte:

Rio 2016 (rio2016.com) 

Brasil 2016 (brasil2016.gov.br)

Comitê Olímpico Brasileiro (cob.org.br)

Confederação Brasileira de Tênis (cbt-tenis.com.br)

Federação Internacional de Tênis (itftennis.com)

 

Fotos Recentes

Vídeos Recentes


Receba novidades